Cultivo de soja com Pivot

Categorias: Rega pivot

vegetação da sojaSe, há algum tempo, a soja tinha como principal destino o complemento do penso, ou mesmo uma finalidade oleica, esta indústria poderia conseguir agora revitalizar esta leguminosa graças aos bons resultados que está a apresentar.

Resultados tanto em rendimentos como em proteína extraída para a elaboração dos chamados produtos funcionais: iogurtes de soja, leite e outras sobremesas nutritivas que representam 26% do valor de mercado.

A soja representa uma boa alternativa de rotação por ser uma planta que melhora as condições do solo. Permite um bom pousio ao fornecer cerca de 50/70 kg/ha de nitrogénio orgânico. São duas as zonas que concentram neste momento em Espanha as principais plantações da leguminosa: Extremadura e Andaluzia.

Data de sementeira: Na primeira colheita (ciclo 1), em finais de Abril, início de Maio. Na segunda colheita (ciclo 2), em finais de Maio, início de Junho.
Textura do solo: Adaptável a todo o tipo de texturas, excepto em solos com níveis altos de calcário activo.
Canteiro de sementeira: 50 cm x 4,5 cm no ciclo 1. 50 cm x 3,5 cm no ciclo 2.
Dose de sementeira: 400.000 plantas/ha no ciclo 1. 550.000 plantas/ha no ciclo 2.
Profundidade de sementeira: De 2 a 4 cm.

Rega: A soja é bastante resistente à seca. Precisa de humidade mas sem acumulação de água, dado que isso asfixia as raízes da planta. Por este motivo, as regas não devem ser copiosas e deve manter-se uma leve humidade no terreno para a melhor vegetação da soja.

O número de regas varia com as condições do clima e do solo. As necessidades máximas ocorrem durante as seguintes etapas do cultivo:

Desde a germinação até ao emergir das plântulas. A semente de soja precisa de absorver um mínimo de 50% do seu peso em água para garantir uma boa germinação. Nesta fase, o teor de água no solo deve estar entre os 50 e os 80% do total de água disponível.

Desde a floração até ao enchimento dos bagos. A necessidade de água de uma cultura de soja aumenta com o desenvolvimento da planta, chegando ao máximo (7 a 8 mm/dia) durante o período compreendido entre a floração e o enchimento dos bagos. Défices hídricos durante esta fase provocam alterações fisiológicas na planta (fechamento estomático, folhas torcidas, morte prematura, aborto de flores e queda do legume).

Para obter as produções máximas, a necessidade de água na cultura durante todo o ciclo varia entre 450 e 800 mm (4.500-8.000 m3/ha), dependendo das condições climáticas, da manipulação da cultura e da duração do ciclo. Normalmente fazem-se cinco a dez regas durante o ciclo vegetativo da planta.

Adubação: 500 kg/ha no fundo (tipo 1:2:3). Necessidades: 50 UF N2-100UF P205-150 UF k20.
Fitossanitários: Herbicida total em pré-emergência. Se for necessário, tratamento pós-emergência.
Data de colheita: Finais de Setembro a finais de Outubro.

Deixe uma resposta