Aspersores de impacto

Categorias: Rega por aspersão


Aspersores de impacto de baixo e médio caudal

aspersores de baixo, médio e alto caudal

Deve fazer-se um uso equilibrado dos recursos hídricos para rentabilizar a colheita e para manter o melhor possível a estrutura do terreno.

O princípio deste tipo de rega consiste em reduzir o tamanho das gotas de água a dispersar, obtendo um fluxo de água idóneo para o cultivo. Para isso, deve intervir um elemento mecânico que transforme a linha de água em finas gotas de orvalho: o aspersor.

Chamamos “aspersores” aos emissores de água que, funcionando hidraulicamente como uma agulheta, lançam a água pulverizada para a atmosfera através de um braço com uma ou duas saídas (boquilhas) na sua extremidade, a uma distância superior a 5 m. Distribuem a água sobre o terreno com um jacto de água que gira entre dois extremos reguláveis (sectoriais) ou rodando 360 graus (circulares).

O objectivo é uma distribuição homogénea da água, evitando a rega excessiva, ou regar zonas não desejadas. Permite uma utilização controlada e rentabilizada da água, reduzindo custos desnecessários no momento da rega do cultivo.

Vantagens: capacidade de fertilizar ou tratar doenças com a rega (fertirrigação), utilização homogénea e equilibrada da água reduzindo custos, evita a deterioração do terreno por não formar poças ou escoamentos. É o método mais seguro contra geadas, permite a lavagem de substâncias tóxicas bacterianas da camada foliar do cultivo.

Usos recomendados. É muito útil em cultivos tropicais (café, cacau) dado que são muito sensíveis às baixas temperaturas. É muito eficaz em: culturas extensivas porque molha toda a zona radicular da planta, em cultivos de porte rasteiro (beterraba açucareira, tabaco, algodão), e nas leguminosas (feijão, lentilhas).

Variáveis do aspersor. Os modelos são muito diversos conforme o ângulo de dispersão, caudal emitido (médio, baixo ou alto), alcance das gotas de água e pressão de trabalho, material de fabrico (plástico, latão).

Aspersores de impacto de médio e alto caudal

Desenhados e fabricados com a máxima precisão para oferecer fiabilidade com a mínima manutenção. Os canhões finais mais utilizados para rega Pivot são os de retorno lento.

Vantagens. A rotação de retorno faz-se com um movimento lento, firme e estável, (assim, no caso do canhão enrolador, o carro permanece recto no caminho). A sua estabilidade na rotação torna-o apropriado para a rega de plantações altas (milho) já que se pode instalar na parte mais alta do avançado de um Pivot. O design com chumaceira estanque faz com que não seja necessária uma lubrificação periódica.

Boquilhas. A mais comum é a boquilha cónica; usa-se onde o fluxo e a pressão são estáveis. Também existe a possibilidade do kit de boquilha com conjunto de anilhas: uma forma fácil e económica de trocar as boquilhas para se adaptarem ao fluxo e pressão da água. Usam-se quando a pressão e o fluxo da água são variáveis e/ou quando se alterna um mesmo canhão para várias fontes de água de diferentes prestações.

Deixe uma resposta